120 Anos de Belo Horizonte

Nossa querida Belo Horizonte completa hoje 120 anos! A Escola Madre Paula conta para você um pouco sobre a história de nossa cidade!

 

Capital do estado de Minas Gerais, Belo Horizonte é um município brasileiro cuja região metropolitana é conhecida por ser a terceira maior do país, em termos de população e importância industrial.

Foi uma cidade planejada, concebida para substituir Ouro Preto como capital mineira, a qual não teria como suportar a expansão urbana. O clima ameno, abundância de água, fácil acessibilidade e a localização (antigo Curral Del Rey), cercado pela Serra do Curral (o que explica seu nome), foram decisivos para considerar a área perfeita para a mudança de sede do governo, a qual aconteceu em 12 de dezembro de 1897.

Ao passo em que Belo Horizonte se consolidava como capital política, e com avanços tecnológicos e novidades culturais chegando à cidade, o seu crescimento foi impressionante. Em pouco mais de um século, o número de habitantes cresceu de apenas 25.000 habitantes a quase 5 milhões de pessoas, em sua região metropolitana. A concentração populacional, sua área econômica e centro cultural e artistico marcaram a cidade como referência nestes aspectos e em qualidade de vida.

Tudo isso a cidade absorveu, e, junto com importante fatos como a visita do Papa Joao Paulo II em 1980, e o reconhecimento pela ONU como uma das metrópoles que oferecem melhor qualidade de vida no mundo, marcaram o modo de viver na cidade. Características que influenciam suas atividades, de modo bastante distinto de outras grandes cidades brasileiras. Por exemplo, a típica culinária mineira em conjunto com a maior concentração de bares e restaurantes do país, tornam Belo Horizonte conhecida como a “capital nacional do boteco”, propiciando eventos como o “comida di buteco”, um festival onde competem bares e restaurantes.

Cultural e artisticamente, BH sempre foi bastante relevante no cenário brasileiro e até internacional. Poetas como Carlos Drummond de Andrade, bandas como Skank, Pato Fu, Jota Quest e Tianastácia; artistas como Milton Nascimento, Lô Borges e Fernando Brant surgiram em Belo Horizonte. A cidade também teve uma produção expressiva bandas de heavy metal, em meados da década de 80, criando um cenário forte na época. Duas dessas bandas tomaram o mundo de assalto, e são mundialmente conhecidas no meio, com legiões de fãs espalhados pelo globo. Uma é o Sepultura, talvez atualmente bem sucedida comercialmente, e o Sarcófago, uma peculiar e brutal banda bastante influente e respeitada. Bem, essa história e variedade cultural da capital mineira gera excelentes oportunidades e possibilidades, tanto para empreendedores como para o público comum.

Atualmente, as atividades econômicas de tradicional destaque na cidade são no setor terciário (ou de serviços), como o comércio e tecnologia de ponta. Esta provavelmente diretamente ligada aos elevados indicadores educacionais de BH, dos maiores do Brasil, com baixos índices de analfabetismo (segundo IBGE) e excelentes escolas e instituições de ensino superior, dentre as quais merece destaque a Universidade Federal de Minas Gerais, referência para o resto do país e de qualidade internacional.

A capital mineira é a quarta cidade mais rica do Brasil, com aproximadamente 1,38% do PIB nacional (dados da Prefeitura de Belo Horizonte), e a área econômica de sua região metropolitana reflete em 9,1% da população possuindo o quinto maior parque produtivo da América do Sul, segundo dados do IBGE.

Fontes: ibelohorizonte, Charles Fotógrafo